Você se preocupa com que os outros pensam de você?

Natália Moraes 1 de março, 2018

A maioria das respostas confirmam essa pergunta e ainda relatam o quanto essa expectativa é angustiante, gerando cada vez mais insegurança. Desde os primórdios da civilização, que nos comparamos uns com os outros, sempre seguindo ou definindo padrões. Mesmo sabendo o quanto isso é ilusório, são poucas as pessoas que se arriscam a minar esse hábito.

O fato é que, a todo momento as pessoas estarão julgando umas as outras. E por saber disso, criamos esse péssimo hábito de preocuparmos com o que pensam sobre nós. O julgamento é algo severo e infelizmente acontece em toda parte. Permitir que isso te afete é algo mais severo ainda com você.

É impossível agradar a todos, essa ideologia que criamos de acharmos que todos vão gostar de nós, das nossas roupas, do nosso cabelo, do nosso corpo são ilusórias! Sempre terá alguém que não vai gostar e de certa forma irá criticar. Por esse motivo é muito importante não deixar com que isso te magoe e muito menos se tornar refém dessas situações. Essa busca de ser aceito é uma camuflagem que criamos para ter a certeza que seremos bem tratados e cuidados pelo outro a todo momento. Só que isso é uma falsa realidade, criada pela nossa mente com o simples intuito de nos proteger. E mesmo assim não é efetivo, pois não protege de sermos atingidos de alguma forma mesmo se formos aceitos. Um exemplo claro disso são as amizades frustradas em que alguns amigos acabam nos machucando sem terem a intenção, simplesmente mudam durante o percurso da vida, e começam a tomar decisões inesperadas. Isso de uma forma ou de outra vai acontecer, e justamente por isso devemos nos responsabilizar pelo que sentimos e o que esperamos, a fim de promover sentimentos libertadores e autonomia diante de nossa vida.

A única forma de se isolar desse ciclo sem fim que gera sofrimento é reforçar ou descobrir quem realmente você é. Atribuir todas as suas características positivas e negativas com o intuito de clarear e te mostrar que você se conhece o suficiente para ficar dependendo da aprovação ou opinião dos outros. Agrados e desagrados vão acontecer independente se gostam ou não de você, então seguir de acordo com nossa subjetividade e personalidade é essencial.

Quando nos conhecemos nos interligamos aos nossos valores, e temos algo para defender e acreditar, sem temer ou nos sentir rejeitados. Você começa a compreender melhor a origem dos seus desejos e começa a se respeitar também, de forma mais consciente e objetiva, isso te traz felicidade, disposição e realização.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Siga Natália Moraes nas redes sociais